sexta-feira, 17 de abril de 2009

A pororoca do Lula

"O desemprego levou mais de oito mil candidatos a passar horas numa fila quilométrica em Mauá, na Grande São Paulo.

Todos com esperança de conseguir uma das pouco mais de 100 vagas temporárias, para funções simples, oferecidas pela Prefeitura.

A fila do trabalho em Mauá passou de três quilômetros. Só não era mais assustadora do que o desemprego. "Eu nem sei o que eles estão oferecendo lá dentro. Se for um trabalho digno decente eu vou pegar", disse a desempregada, Juraci Almeida Santos.

As vagas, temporárias, eram 120. Os candidatos, mais de oito mil. Alguns deles perderam o emprego há pouco tempo. "Quando eu fiz a minha demissão foram mais ou menos uns 300 de uma vez só", conta Lucineide Silva de Miranda."

Globo

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Uma marolinha que virou pororoca.

Um comentário:

Clausewitz disse...

Bom dia, amigo. Passe lá no Blog do Clausewitz, pois tem um merecido prêmio lá para o seu Blog. Abração